Inseticidas em mudas pré-brotadas

12/01/2018 13h30 | Atualizado em: 12/01/2018 13h37

Obtidas a partir de matrizes livres de pragas e doenças, as mudas pré-brotadas (MPB) têm identificação genética certificada e alta qualidade fitossanitária. A tecnologia apresenta um novo conceito para a cana-de-açúcar por meio da multiplicação rápida em viveiros com qualidade, uniformidade e ausência de patógenos que interferem no desenvolvimento inicial da cultura.

Os procedimentos são necessários para a prevenção das pragas e doenças que comprometem a produção da muda, que deve ser sadia para obter bons resultados. Na produção de MPB, as operações de termoterapia e roguing reduzem e eliminam quase que completamente o inoculo de alguns fungos. “São métodos seguros para atrasar ou controlar epidemias que, normalmente, começam com alto número de agentes das doenças”, explica Marco Cunha, gerente de Produtos Inseticidas e Fungicidas da Ourofino Agrociência.

As pragas têm grande importância econômica na agricultura, pois diminuem a produtividade das lavouras e, consequentemente, aumentam os custos de produção. “Ou seja, o lucro do agricultor diminui”, destaca Marco. Um aspecto ainda pouco considerado, mas de suma importância, é o efeito que as elas têm sobre o material utilizado como muda. Ao atacarem o canavial, as pragas reduzem a qualidade dos colmos, prejudicando a brotação das gemas e aumentando as falhas de plantio.

Ana Paula Bonilha, especialista de Desenvolvimento de Produto e Mercado da Ourofino Agrociência, ressalta que o uso de mudas pré-brotadas associado a um manejo fitossanitário adequado garante bons resultados. “Obtemos mudas sadias, livres de pragas e doenças, que garantem o estabelecimento inicial da cultura com qualidade fitossanitária e mais garantia de produtividade e longevidade do canavial”.

Para a efetividade da aplicação do manejo, o processo com inseticidas em MPB deve ser realizado no momento do plantio das mudas. Ao realizar o sulco de plantio, a aplicação de inseticidas deve ocorrer simultaneamente, visando o controle de pragas de solo, como cupim, bicudo e formigas. “Após o plantio, as soluções são utilizadas para controlar a broca da cana”, orienta Ana Paula.

Marco completa que, quando efetivas e bem realizadas, as operações eliminam quase que completamente outras principais doenças da cana-de-açúcar, como raquitismo, carvão, escaldadura e mosaico. Mas o gerente também pontua que no sistema de MPB o efeito das pragas é minimizado pela seleção das mudas no viveiro. “Com esse método, elimina-se praticamente qualquer risco de disseminação das doenças, sendo uma das principais vantagens do sistema MPB”.

Apesar de ainda não existir muitos dados referentes à seletividade de inseticidas e fungicidas em MPB, o uso das mudas selecionadas é fundamental para o estabelecimento de qualquer cultura. “Especialmente na cana-de-açúcar, esse aspecto deve ser cuidadosamente considerado, pois a cultura permanece em campo por cinco ou mais anos depois do plantio”, finaliza Marco.

Fonte: Ourofino Agrociência
Foto: Blog Fala Mart

saiba mais sobre a comiva?! Basta Clicar aqui »