Milho: Mercado ainda reflete números do USDA e dá continuidade ao movimento negativo nesta 6ª

09/02/2018 16h27 | Atualizado em: 09/02/2018 16h33

As cotações futuras do milho dão continuidade ao movimento negativo ao longo do pregão desta sexta-feira (9) na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais posições da commodity testavam perdas entre 0,75 e 1,00 pontos, por volta das 13h07 (horário de Brasília). O vencimento março/18 era cotado a US$ 3,65 por bushel, enquanto o maio/18 trabalhava a US$ 3,72 por bushel.

Conforme dados das agências internacionais, o mercado ainda absorve os novos dados de oferta e demanda reportados nesta quinta-feira pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). O órgão revisou para baixo os estoques finais americanos, assim como, a projeção para a safra de milho da Argentina nesta temporada.

O número, de 39 milhões de toneladas, ficou em linha com o reportado pela Bolsa de Cereais de Buenos Aires (BCBA). O clima na Argentina também continua no radar dos participantes do mercado. Do mesmo modo, a demanda pelo cereal norte-americano segue no foco dos traders.

BM&F Bovespa

Na BM&F Bovespa, as cotações futuras do milho operam em campo negativo nesta sexta-feira (9). As principais posições do cereal exibiam perdas entre 0,28% e 0,56%. O março/18 era cotado a R$ 33,90 a saca e o maio/18 trabalhava a R$ 33,40 a saca.

As cotações acompanham a queda registrada nos preços na Bolsa de Chicago. Por outro lado, a moeda norte-americana era negociada a R$ 3,28 na venda, com valorização de 0,16%.

Fonte: Notícias Agrícolas
Foto: Rural Pecuária

saiba mais sobre a comiva?! Basta Clicar aqui »